Crispim de Viterbo (1668-1750)

Frei Crispim de Viterbo (1668-1750)

religioso, O. F. M. Cap.

Frei Crispim de Viterbo religioso, O. F. M. Cap.
Frei Crispim de Viterbo

São Crispim de Viterbo

Frei Crispim de Viterbo, irmão leigo capuchinho, nasceu em Viterbo (Itália) aos 13 de Novembro de 1668, filho de Ubaldo Fioretti e Márcia Antoni. Com a morte do pai, o pequeno Pietro (este era o seu nome de batismo) e a piedosa mãe, viúva pela segunda vez, passam aos cuidados do tio materno Francisco. Pietro frequentou com proveito a escola primária junto dos Jesuítas e por estes foi admitido, depois, nas suas oficinas como sapateiro.

Mais tarde, o jovem Pietro, ao participar numa procissão realizada em Viterbo para implorar chuva em tempo de grave seca, impressiona-se com a piedade dos noviços capuchinhos e, tocado pela graça numa definitiva solução, aos 22 de Julho de 1693 ingressou no convento de Palanzana para iniciar o noviciado na Ordem franciscana, tomando o nome de Crispim. A sua vida como religioso transcorreu por 57 anos totalmente consagrados ao serviço de Deus e dos irmãos, principalmente dos mais necessitados. Não era sacerdote, mas irmão leigo ocupando-se de simples trabalhos na sua comunidade. Na cozinha, na enfermaria, no parlatório, no apostolado itinerante de catequese, no campo assistencial, o irmão Crispim, como autêntico filho de São Francisco, edifica todos com o exemplo e a dedicação, e a quantos o procuram, nobres e doutos, a começar pelo Papa Clemente XI, sabe dar a palavra e o conselho de quem vive a união com Deus, a verdadeira alegria cristã, a coragem evangélica, a pobreza e o solícito serviço do próximo. Gravemente enfermo durante o inverno de 1747-1748, foi trazido a Roma para tratamento mais cuidadoso, e dois anos depois veio a falecer, aos 19 de maio 1750. Em 1806, Pio VII proclamou-o Beato. Aos 20 de junho de 1982 foi canonizado pelo papa João Paulo II.

Três circunstâncias tornam particularmente significativo o acontecimento da canonização do Beato Crispim naquele ano: celebrou-se o VIII centenário do nascimento de São Francisco; a realização, naquele mês, de um dos mais importantes Capítulos da Ordem Franciscana dos Capuchinhos e a eleição do novo Ministro-Geral; foi a primeira canonização decretada por João Paulo II em quatro anos de pontificado.

São Crispim de Viterbo, rogai por nós!

Fonte: Santa Sé

Compartilhe